segunda-feira, 21 de julho de 2008

Passeio pelas praias





















Piriápolis - Iglesia de Santo Antonio

Punta Ballena - Casapueblo de Carlos Páez Vilaró

Punta del Este - Dedos, Puente curvo, Lobos mariños en el Yacht Club
Depois de passar o dia todo conhecendo a parte mais famosa da costa uruguaia demos um pulinho em um supermercado e fomos jantar em um restaurante onde só vão locais (claro que foi a melhor refeição que fizemos!).
Domingo de noite as atrações são duas: ou cassino ou cama! Como tínhamos que acordar às 3 da manhã pra pegar o vôo às 6... optamos pelo charme de uma cama quentinha! hehehehe

domingo, 20 de julho de 2008

Montevideo: city tour



























Plaza Matriz / Plaza de la Constituición
18 de julho é o grande feriado nacional (por isso que tudo tava fechado quando chegamos!) a data da assinatura da constituição deles.

Plaza Independencia - tem uma baita estátua do Artigas
O Palácio Salvo é considerado o primeiro arranha céu da América do Sul
Puerta de la Ciudadela - coberta para restauração mas tudo bem... Montevideo já foi uma cidade fortificada.
Parliamento - o prédio por dentro é um show a parte... mas tava fechado!

Barrio Tres Cruces - bairro chique onde nasceu José Beloni (um dos escultores mais iomportantes do país hoje em dia) que era filho de um jardineiro. Iglesia de las Carmelitas - "pequena Notredame" pretensa réplica feita no início do século XX.
Barrio Salud - é onde ficam 90% dos hospitais...

Barrio Prado - Estadio Centeario y Parque del Prado - José Beloni (escultor)

Punta Carretas - Rambla, é assim que chamam o calçadão beira-mar/rio
Mercado del Puerto - é um grande centro de lugares para comer (revitalização do porto)! Mas como é um lugar turístico é claro que há "artesania" do lado de fora. Resolvemos comprar uns pingentes feitos de resina com flores secas... o artesão, tri gente boa, ficou de papo por muito tempo... o mais legal foi ele conhecer o Chipre (país de origem da minha amiga) e o principal tenista de lá... mais uma hora de conversa! Ahhh claro que ele compartilhou conosco a paixão dele pelo Peñarol!
Almuerzo Don Garcia: chivitos + medio y medio + Zilertal - quando estávamos prontas para sair um casal de uruguaios (montevidinos?!) sentou-se na mesa ao nosso lado e começaram a conversar conosco e lá ficamos por mais pelo menos uma hora! !Muchas risas e sonrisas!

Teatro Solís - pena que tava fechado para visitação... a fachada já foi interessante...

De noite "El Milongón"o show tradicional com as danças uruguaias! Maravilhoso! Mas... esquecemos de levar máquina fotográfica! Heheheheh
De Montevideo a impressão que fica é: a cidade é limpíssima, segura (com excessão da área do porto as pessoas caminham tranquilamente altas horas da noite... inclusive casais namoram sentados nos muros em ruas calmas!), a arquitetura é marcante (ao mesmo tempo que há muitos prédios centenários aos poucos prédios modernos começam a ser erguidos), as pessoas são de uma gentileza ímpar e ao mesmo tempo há muita gente pedindo "monedas" mas não vimos pessoas sujas ou maltrapilhas. Amei!
Gostaria de voltar pra poder caminhar com calma pelas ruas, ver as centenas de pequenas praças que pululam pela capital, entrar nos vários museus, tomar mais umas garrafas de Pomelo (refrigerante nacional), bater papo com os artesãos...

sábado, 19 de julho de 2008

Bienvenidos en Uruguay!




Iupi! Viajar é bom!




Como o tempo pra chegar ao centro de ônibus ou de táxi era praticamente o mesmo (cerca de 30 min) resolvemos experimentar o autêntico transporte público de Montevideo (a tarifa é de 17 pesos = R$ 1,70)... depois de 10 min no vento achamos que pegar um táxi também tinha seu charme...


E realmente teve! O motorista, muito simpático, conversou todo o trajeto e respondeu todas nossas perguntas. Mas a tarifa foi bem diferente do ônibus: 680 pesos!!! (Claro que depois descobri que o valor correto deveria ser 425 pesos!).




Resolvi adicionar um pouquinho de aventura e fazer reserva em um albergue http://www.redhostel.com/
Li críticas tri boas, o site mostrava um casarão charmoso bem localizado (do lado da prefeiura) e o atendimento por email super rápido.
Red Hostel. O casarão é imponente, o hall de entrada dá a impressão de grandiosidade, na recepção/sala de estar o charme de uma lareira PORÉM... o quarto cheirava a mofo, o serviço foi muito mais organizado e simpático virtualmente e metade dos serviços anunciados no site não correspondiam exatamente a realidade!




45 minutos e duas quadras depois: Sheraton Four Points! http://www.fourpoints.com/


Nem precisava tanto, só um lugar limpinho pra tomar banho e dormir... mas não vou reclamar das camas super-ultra-mega-extra fofas com muuuitos travesseiros!!! :)




Sexta de noite... como não fizemos planos só embarcamos no avião, simplesmente seguimos a sugestão do recepcionista Baar Fun Fun ( se lê como se escreve mesmo!) http://www.baarfunfun.com/


O bom de chegar cedo é que além de termos conseguido uma mesa sem fazer reserva (geralmente isso não é possível!) tivemos a atenção de todos os garçons só pra nós duas! heheheeh Indo lá não deixe, de forma alguma, de comer uma porção de picada (aperitivo), mais de uma dose de uvita (uma mistura de vinhos da casa) e uma garrafa de cerveja Zilertal!


O lugar existe desde 1895, o público é variado mas a grande parte são de pessoas "majores" (mais velhas) apesar dos garçons estarem todos na faixa entre 20 e 30 anos, e turistas perdem muito em número aos locais (é um lugar muito frequentado pelos nativos!).




No caminho de volta pela Calle 18 de Julio passando na frente do Crystal Palace Hotel http://www.crystalpalacehotel.com.uy/ resolvemos entrar dar uma olhadinha e perguntar o preço... não ia tirar pedaço... e não é que apesar de já ser mais de 23 horas eles tiveram a maior boa vontade em nos mostrar um apartamento!? Como na recepção tinha uma série de propagandas... contratamos um city tour para o dia seguinte.




















quinta-feira, 17 de julho de 2008

Desvio de atenção...

60 minutos, uma hora inteirinha concentrada, sem dispersão!
Isso sim é ter motivos para comemorar!!!

domingo, 13 de julho de 2008

Barraco - Home


Dias atrás um amigo perguntou como eu diria "barraco" em inglês. Automaticamente respondi: "shelter" (abrigo) ou "shanty house" (casa de favela).
Logo fui questionada: que tal "home"?
Nossa, em um contexto poético como a letra de uma música esta opção é realmente mais adequada, justamente por se tratar do sentimento relacionado à habitação e não à construção em si!
Vejam abaixo as soluções encontradas pelo tradutor. Concordam? Discordam? Têm sugestões mais "adequadas"? Estou curiosa para ouvir a opinião de vocês.


BARRACO - HOME

Neste barraco de quatro paredes

Those four thin walls
that we called home
Que para nós parecia bem mais.

seemed so much more to us then
Tinha uma janela

A large window
de frente pra rua

Looked out onto the street
Do lado da porta

Next to a door
Que ficava aberta

Always left open
Pra lua entrar e sair

So the moon could come and go
Sem entrar, nem sair,

Come go in our home
Tinha muito amor.

So full of love .

Parecia mansão de doutor que abrigava

It felt like one of those mansions
Up on a hill
Coordenava os passos da multidão.
Home to the movers
And home to the shakers
Um pobre barraco

A mere shanty
Meio fora de esquadro

Slightly askew
Como muita coisa
Nesta nação

Like so much in this crazy world
Pra lua entrar e sair

So the moon could come and go
Sem entrar, nem sair,

Come go in our home
Tinha muito amor.

So full of love .

Letra: Clóvis Batista Machado Itaqui
Música: Otávio Ricardo de Matos Segala



Lyrics in English: Clóvis Itaquy & Alex Ladd
August 2004 (New York)

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Pierrô e Colombinas... como nos carnavais de antigamente!

Esse trio viajou lá do Oriente Médio especialmente para alegrar meu dia!
Valeu Camila!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Sexta-feira DF - oitavo dia...


Em Porto Alegre o Speed é conhecido por seus lanches enormes e gordurosos... O Sky's em Brasília também é gostoso mas no quesito exagero de gordura ganha disparado! heheheh Acho que essa ilustração do anjo éo anjo da guarda que deve proteger o vivente para sobreviver a essa orgia gastronômica! - O Cremoso de Morango (uma vitamina/batida) é imperdível!

sexta-feira DF oitavo dia...


Saudades dos meus peludinhos ronronantes! -
A Mitsy é que sempre caça o mouse lá em casa...

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Puppy size - received by email


Puppy Size
This is one of the neatest stories you will ever hear. You will know
precisely what this little girl is talking about at the end (you'll
want to share this one with your loved ones and special friends)!


'Danielle keeps repeating it ove r and over again. We've been back to
this animal shelter at least five times. It has been weeks now since
we started all of this,' the mother told the volunteer.

'What is it she keeps asking for?' the volunteer asked.

'Puppy size!' replied the mother.

'Well, we have plenty of puppies, if that's what she's looking for.'

'I know...we have seen most of them,' the mom said in frustration...

Just then Danielle came walking into the office

'Well, did you find one?' asked her mom. 'No, not this time,'
Danielle said with sadness in her voice. 'Can we come back on the
weekend?'

The two women looked at each other, shook their heads and laughed.

'You never know when we will get more dogs. Unfortunately, there's
always a supply,' the volunteer said.

Danielle took her mother by the hand and headed to the door. 'Don't
worry, I'll find one this weekend,' she said.

Over the next few days both mom and dad had long conversations with her.

They both felt she was being too particular. 'It's this weekend or
we're not looking anymore,' Dad finally said in frustration.

'We don't want to hear anything more about puppy size either,' Mom added.

Sure enough, they were the first ones in the shelter on Saturday
morning. By now Danielle knew her way around, so she ran right for the
section that housed the smaller dogs.

Tired of the routine, mom sat in the small waiting room at the end of
the first row of cages. There was an observation window so you could
see the animals during times when visitors weren't permitted.

Danielle walked slowly from cage to cage, kneeling periodically to
take a closer look One by one the dogs were brought out and she held
each one.

One by one she said, 'Sorry, you're not the one.'

It was the last cage on this last day in search of the perfect pup.

The volunteer opened the cage door and the child carefully picked up
the dog and held it closely. This time she took a little longer.

'Mom, that's it! ?I found the right puppy! He's the one! I know it!'
she screamed with joy. 'It's the puppy size!'

'But it's the same size as all the other puppies you held over the
last few weeks,' Mom said.

'No not size... the sighs. When I held him in my arms, he sighed,' she
said.

'Don't you remember? ?When I asked you one day what love is,
you told me love depends on the sighs of your heart. ? The more
you love, the bigger the sigh!'

The two women looked at each other for a moment. Mom didn't know
whether to laugh or cry. As she stooped down to hug the child, she did
a little of both.

'Mom, every time you hold me, I sigh. When you and Daddy come home
from work and hug each other, you both sigh. I knew I would find the
right puppy if it sighed when I held it in my arms,' she said.

Then holding the puppy up close to her face she said, 'Mom, he loves
me. I heard the sighs of his heart!'


Close your eyes for a moment and think about the love that makes you
sigh. I not only find it in the arms of my loved ones, but in the
caress of a sunset, the kiss of the moonlight and the gentle brush of
cool air on a hot day.

'Life is not measured by the breaths we
take, but by the moments that take our breath away.'

Quinta-feira, uma semana de DF


Já passou uma semana que estou brincando de casinha por aqui...
Café da manhã típico do planalto central (nessa minha mini-rotina): na padaria (coisa de paulista), atendida por nordestinos (nem em SP encontrei tantos!), pão de queijo (de mineiro), acompanhado de chimarrão (é só olhar pra ver que sou do SUL!!!).

Roupa branca aqui é proibitivo a não ser que não se dê bola para andar com roupa encardida... terra vermelha não é brincadeira!

Creme hidratante é artigo de primeira necessidade e TEM que ser usado mais de uma vez ao dia! Filtro solar e uma garrafinha de água também devem ser mantidas constantemente a tira-colo!

Carpete é um horror, por mais que seja limpo está sempre sujo... toda aquela sujeira impregnada no meio das fibras que não há aspirador de pó ou escovinha (ai meus joelhos!) que dêem jeito! Já piso de cerâmica branca... qualquer cisquinho aparece!

Carros até têm alarme... mas eles são, via de regra, estacionados nas ruas - raros são os prédios que possuem estacionamento fechado.
Ah, faixas de segurança/pedestres devem ser respeitadas, correto? Aqui se você pisar sobre uma e estender o braço, não importa o quão agitado o trânsito esteja, os carros invariavelmente PARAM!!! E por falar nisso... não lembro de ter visto policiamento fiscalizando!

Não pare de brincar com a comida!!











































Você não é um grande cozinheiro mas quer impressionar? As crianças sempre fazem manha na hora de comer? Sua mãe dizia que não era para você brincar com a comida, e você acreditou? Putz! Dá uma olhada em: www.e-obento.com

Pena que eles não tem vulcão de arroz com lava de feijão como minha mãe fazia pra gente quando criança... e nem rosinha de tomate!!! Muito obrigada mãe!!!