terça-feira, 10 de março de 2009

Minha mãe me ama muito, mesmo, de verdade!



Eu faço parte de um seleto grupo de pessoas que não vê nada de especial em picanha nem em filé mignon, pra nós bom mesmo é língua de boi, rabada, matambre, moela e afins. No final de semana vi uma promoção de rabo de boi e minha boca começou a salivar... só havia um problema: nunca simpatizei muito com panela de pressão, ok, admito: sempre tive MEDO de panela de pressão! Aquelas panelas chiadoras com certeza se viessem a explodir fariam comigo na frente delas... esse e outros pensamentos aterradores sempre pulularam em minha mente fértil. Mas o desejo de sentir aquela carne macia que se solta do osso, aquele caldo forte que precisa ser diluído umas milhares de vezes e que mesmo assim continua sendo um veneno pra silhueta e pro fígado... hummm superei meu medo das panelas! É óbvio ululante que eu nunquinha na vida tinha preparado uma rabada. Rabada é um prato que sempre vi pronto, e que lembrava vagamente da minha mãe comentar que era chatinho de preparar porque tinha que tirar a gordura da carne antes e depois de cozinhar. Definitivamente, minha mãe tinha razão: dá trabalho! Mãe, muito obrigada por me amar tanto e ter preparado rabada tantas vezes especialmente pra mim! :D

Um comentário:

Lu Monte disse...

Eu nem vejo graça em carne em geral... mas fujo dessas esquisitas. :P